Segurança

Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A leitura sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar. Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para passarem a ser mais assertivos com relação ao tratamento, ao estilo de vida, a compreensão de seu próprio corpo. Fazendo com que, o gerenciamento dos sintomas não se torne algo ainda mais difícil.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real, é uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades, dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro dedicam-se ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida de todos os pacientes fibromiálgicos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria, aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a doença é "na cabeça", e não "da cabeça". Isto porque esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativada, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo disparando zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potenciais de dor, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão, pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, qual o que melhor se adapta a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixa que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho e determinação.
Seja bem vindo ao nosso universo, complexo, diferente, invisível... mas é preciso lembrar que o Fibromiálgico não é invisível, e seus sintomas também são reais.
Respeite o fibromiálgico!
Nem tudo que você não vê, você desacredita...
Com a fibromialgia não é diferente.
Ela é uma das síndromes ou doenças invisíveis.
Nenhum paciente escolhe ser fibromiálgico.
Carinho, respeito, apoio, entendimento e harmonia ajudam e muito... depende da sociedade, dos familiares, dos amigos, e dos órgãos governamentais que insistem em desmerecer e desrespeitar o paciente.
Não seja você mais um nesta lista.
Agradecemos sua atenção.
Boa Leitura!

TRADUTOR

ABRAFIBRO NO YOUTUBE

Loading...

segunda-feira, 20 de abril de 2009

SINTOMAS DA FIBROMIALGIA



Apresentamos aqui alguns sintomas da Síndrome de Fibromialgia.

Isso não substitui a consulta médica.

Consulte um médico de sua confiança, que neste caso, deve ser o Reumatologista ou Fisiatra.



SINAIS E SINTOMAS DA FIBROMIALGIA

- dores muscularas crônicas, difusas, espalhadas pelo corpo todo, como se
fosse uma "dor turista".

- dores articulares.- dores do tipo cardíaco.

- fadiga/ cansaço extremo (em especial pela manhã).

- distúrbios do sono (insônia).

- sono não reparador,

- cefaléia (dor de cabeça) tensional,

- enxaqueca (hemi-craniana) só atinge metade da cabeça,

- formigamento,

- sensibilidade ao frio,

- tensão pré menstrual,

- dismenorréia (cólica menstrual),

- irritabilidade,

- ansiedade,

- depressão,

- distimia,

- dores da ATM (articulação têmporo-mandibular),

- falta de disposição e energia,

- distúrbios emocionais e psicológicos,

- bruxismo,

- sintomas compatíveis com Síndrome do Pânico,

- déficit de memória,

- desatenção,

- olho seco,

- boca seca,

- rigidez generalizada do corpo, ao se levantar de manhã,

- inchação nas mãos e nos pés,

- falta de energia,

- Fenômeno de Raynaud (dedos arroxeados em ambientes frios),

- Síndrome das Pernas Inquietas (movimento involuntário das pernas durante o sono),

- Síndrome do Intestino Irritável (dor abdominal, constipação, diarréia, distensão abdominal,
flatulência),

- Síndrome Ureteral: os pacientes queixam-se de aumento da frequência para urinar, na
ausência de infecção urinária,

- síncope neuro-cardiogênica.- sonolência diurna,

- vertigem/tontura.- palpitação.- sensibilidade a alguns alimentos e medicações,

- alodinia (dor resultante de estímulo que não seria doloroso),

- disestesias (sensação desagradável que varia desde amortecimento até agulhadas sentida nas
extremidades),

- zumbidos.- transtornos cognitivos, com lacunas mentais, confusões momentâneas para falar ou
escrever,

- sensibilidade aumentada à luz (fotofobia) e ruídos,

- perda do equilíbrio e orientação,

- alergias cutâneas (urticárias) e respiratórias (rinite e asma).


São muitas não?


E podem estar associadas a outras tantas doenças ainda.

Ainda não descobriram uma maneira de comprovarem com exames/imagens sua existência.

O que prejudica somente a classe trabalhadora, que necessita dessa comprovação para poder receber o benefício previdenciário. Dão 60 dias somente. Porém, a própria medicina admite que a Síndrome é cíclica; ou seja, as crises acontecem e depois passam. Só não sabemos como, quando, e por quê? As dores vem, nos entupimos de analgésicos, antidepressivos, em algumas situações, ansiolíticos, e quando não... fazemos uma visita ao Pronto Socorro porque a dor não passa. Nos aplicam outros tantos medicamentos mais potentes, e nos mandam para casa, porque não há mais nada a fazer.
E nós ficamos esperando a dor passar, ou pelo menos diminuir.
No compasso de espera ficamos. Ficamos a nos envenenar com tantos medicamentos. E com a cabeça girando em torno do trabalho, das responsabilidades, das contas a pagar. Mas o corpo não quer obedecer a ordem de "Vamos a Luta, Eu preciso ir trabalhar". Meus olhos quase se fecham sozinhos, meu corpo não responde ao meu comando. Ele quer a cama.
Fica a preocupação pior... Por quantos dias ficarei assim? Como dói meu braço, ou minha perna, ou minha coluna, ou meu pescoço, ou minha cabeça... como posso sair se tenho vertigem, e a bula adverte para não dirigir? O que faço?
Assim sendo...

Numa sociedade capitalista onde o trabalhador vende sua mão de obra, ou seja, seus conhecimentos, ou mesmo seu trabalho braçal, se ele for portador desta síndrome, como saber se amanhã ele será acometido de uma crise? Qual o tempo de duração de uma crise?
E também a medicina não conseguiu descobrir a origem, portanto qualquer pessoa pode tornar-se uma(um) Fibromiálgica(o)! Estão todos correndo este risco.
Portanto, amanhã qualquer pessoa pode ter uma crise de fibromialgia! Sem tempo para curar, sem saber de onde veio, ou por que veio! Simplesmente ela apareceu.
Ela não escolhe a quem vai acometer.
Porém depois que você começa a sentir os primeiros sintomas e desconfortos tudo vira de ponta cabeça em sua vida.
Ninguém pode assegurar. Ela também aumenta o limiar de dor de outras doenças tais como: tendinite, bursite, torções, de toda e qualquer anormalidade no corpo. Afinal ela é justamente isso; o portador perde o limiar da dor normal.


O que seria normal para a maioria, para o fibromiálgico é um sofrimento.


Isso interfere inclusive sobre os aspectos emocionais dos pacientes.


Como pode o INSS elaborar uma TABELA, e nela incluir pacientes com dor crônica, como é a Fibromialgia? Não somos donos do tempo, muito menos de nosso corpo por vezes.


Quisera pudéssemos arrancar a dor com a mão, e voltar a viver como antes.


Donas(os) de nosso próprio leme da vida.


Então pergunto:


Qual será o patrão que admitirá um funcionário sabendo que ele é portador da Síndrome de Fibromialgia?? Ou seja, que ele não será um funcionário que terá diversas faltas justificadas, não um funcionário com quem se possa contar para tarefas a longo prazo. Provavelmente, terá que pagar enquanto ele cumpre licença médica estando em casa.

Contrataria????? É claro que não!

E mesmo que ele não saiba, após a primeira crise e o funcionário retornar e entregar o Atestado Médico - alguns médicos colocam o CID que gerou o afastamento M79.4 (que não é obrigatório) ficará sabendo que ele é fibromiálgico. Adivinhem qual será o final da história???
Rua!


Nossa vida é cíclica. Não fazemos programas a longo prazo, porque não sabemos se vamos poder cumpri-lo.


Vida social? Para alguns não é possível conciliar, como é meu caso.

Há algum tempo fiz algumas contas, e cheguei a triste conclusão que já gastei com: medicamentos/transporte/terapias/alimentação extra o que nunca gastei nos últimos 5 anos para me divertir em um dia, ou em um mes, ou em um ano. Ou comprando em roupas, sapatos, perfumes...


Não posso mais me dar a esses luxos. Preciso reservar para os medicamentos.


Sei que muitos aqui fazem o mesmo. Outros, felizmente, conseguem através do SUS.

Só quero pedir aqui para que os pacientes de dor crônica inclusive os fibromiálgicos façam uso de sua pouca energia para garantir algum direito constitucional. Se não reclamarmos, quem o fará por nós???
Quem???
Posso ser o grão de areia hoje... mas desejo muito unir-me a outros para formar uma grande montanha rumo as conquistas.





Gostaria que todos tivessem direito a tratamento/medicamentos/terapias gratuitas. Não sou eu que peço. Isso já está na constituição! Não é nenhuma esmola!


Muito menos slogan de benefício para campanha eleitoral.





O povo brasileiro tem um péssimo hábito.





Pensa muito. Reclama demais. E faz.... é Nada!!! E fica tudo como está!





Nem votar sabem... não procuram saber quem é a pessoa em quem estão votando. O que ele está fazendo lá depois de eleito.





É uma maravilha ser político no BRASIL! E os fibromiálgicos e pacientes com dores crônicas como ficam???





Só Reclamando!!!