Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se extender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas cem diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? Leia na coluna à sua esquerda.

Seja bem vindo ao nosso universo, complexo, diferente, invisível... mas é preciso lembrar que o Fibromiálgico não é invisível, e seus sintomas são reais.
Respeite o fibromiálgico!
Nem tudo que você não vê, você desacredita...
Com a fibromialgia não é diferente.
Ela é uma das síndromes ou doenças invisíveis.
Nenhum paciente escolhe ser fibromiálgico.
Carinho, respeito, apoio, entendimento, ações e benefícios governamentais e harmonia ajudam e muito... depende da sociedade, dos familiares, dos amigos.
Os órgãos governamentais que insistem em desmerecer e desrespeitar o paciente, e para mudar este quadro é que JUNTOS estamos lutando. Faça sua parte também.
Não seja você apenas mais um nesta lista. Você pode fazer a diferença. #JuntosSomosMaisFortes
Agradecemos sua atenção.
Boa Leitura!

Sandra Santos -
Diretora Geral e Fundadora
ABRAFIBRO - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FIBROMIÁLGICOS

TRADUTOR

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

ABRAFIBRO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FIBROMIÁLGICOS: REFLEXOLOGIA

ABRAFIBRO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FIBROMIÁLGICOS: REFLEXOLOGIA

REFLEXOLOGIA


Click sobre a foto para ampliá-la!
O que é reflexologia?

Reflexoterapia é a utilização terapêutica da Reflexologia. É uma técnica de tratamento por meio de estímulos em uma área reflexa. Reflexologia é o estudo das delimitações destas áreas, assim como as suas funções e ações diante das patologias humanas. É um dos recursos da medicina natural, holística, ou medicina complementar, antigamente conhecida como medicina alternativa, mas também considerado como Pseudociência. Em 2009 uma revisão sistemática de experimentos aleatórios controlados concluiu que "A melhor evidencia existente até o momento não demonstra que a reflexologia é eficaz no tratamento de qualquer condição médica".

Áreas reflexas

As principais áreas reflexas trabalhadas são: as mãos (reflexo palmar); os pés (reflexo podal); as orelhas (reflexo auricular); a coluna (reflexo vertebral); a face (reflexo facial); e o crânio (reflexo cranial).

Nos pés

Os praticantes desta técnica acreditam que existem pontos nos pés que refletem a situação da saúde do corpo humano por inteiro. Por isto, estimulam-se estas áreas para aliviar dores, distúrbios orgânicos, emocionais (leves) e de várias partes do corpo, gerando assim um grande equilíbrio corporal, da maneira mais simples possível.

Sir William Osler (n. 12 de Julho, 1849 – f. 29 de Dezembro, 1919) médico canadense, sendo um dos ícones da medicina moderna, chamado por vezes de "pai" dela, era um conhecedor e defensor da Reflexologia Podal, tanto que certa vez disse: "Quando os nervos dos olhos e dos pés forem corretamente entendidos, haverá menos necessidade de intervenções cirúrgicas".


Críticas

A crítica mais comum contra a reflexologia é a falta de evidências para a afirmação de seus efeitos, ou de qualquer base científica ou demonstrativo para as suas teorias. Assim como outras pseudociências sem qualquer efeito provado além de placebo, se seus pacientes dependerem apenas dela ou até rejeitar tratamentos médicos efetivos, aumenta o risco de saúde do paciente.

A afirmação que a reflexologia pode manipular energia(Ki ou chi) sempre foi extremamente controversa, já que não há nenhuma evidência científica mostrando a existência desta energia(´Ki´, ´balanço de energia´,´estruturas cristalinas´ ou ´meridianos´) no corpo.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Reflexoterapia

Dicas dadas no facebook, que agora transcrevo para vocês:


  • Sandra Santos A técnica que usa esses pontos é a Reflexologia. É muito boa! Por isso que quando massageamos os pés, tocando nos pontos mais sensíveis uns doem e em outros sentimos um enorme alívio.
    há 5 horas · · 3
  • Sandra Santos Quem tem problemas com o nervo ciático, p. ex. pode pedir para alguém fazer massagem com o cotovelo nos pontos indicados aí no mapa... É só se deitar de maneira confortável, de barriga para baixo, os braços ao longo do corpo, com as palmas das mãos viradas para cima. Quem vai aplicar a massagem senta-se ao chão e coloca os pés do massageado no colo, e com o cotovelo faz movimentos circulares com o cotovelo. No começo o massageado vai sentir um pouco de dores, mas logo elas vão sendo amenizadas. Essa técnica funciona como um analgésico para quem tem problemas com o nervo ciático. O massageador terá que sentir os nódulos no calcanhar e ir desfazendo-os com os movimentos. Dá um alívio e tanto. Mas tudo isso não substitui a consulta ao médico e os exames necessários.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Medicina Ambiental e a Fibromialgia

Após a participação no II Congresso Internacional de Medicina Ambiental pude perceber que a causa de várias doenças são explicadas intoxicação e pela alergia alimentar e por outras causas.

É um mito achar que somos somente o que comemos. Na verdade somos o que comemos, o que tocamos e o que respiramos!!! Esse é o conceito mais amplo da Medicina Ambiental.

Segue aqui algumas dicas que acho importante e que são fáceis de serem seguidas, adaptei algumas delas para a nossa codição especial:

1) Tome sol, o sol ajuda na absorção do cálcio e a falta do cálcio traz danos para o organismo. Se mesmo assim seu nível de cálcio está baixo faça a suplementação com o auxílio de um profissional.
2) Faça com que seu prato seja mais colorido e contenha todas as classes de alimento.
3) Faça atividades físicas com frequência se possível, se não for possível tente caminhar pelo menos 1 ou 2 minutos por dia e depois vá aumentando gradativamente.
4) Evite ficar por perto de antenas de celular,no conceito da Ambiental isso é um veneno.
5) PIMENTAS podem causar dor (sempre soube o contrário mas houve essa afirmação)
6) Evite usar cloro nas suas limpezas, o cloro é tóxico!!! É possível fazer a limpeza dentro de casa somente com agua, vinagre e bicarbonato de sódio.
7)Luzes incadescentes são tóxicas
8)Canos de cobre ou cerâmicas são melhores
9) Somente utilize mamadeiras de vidro para seus filhos
10) Sempre usar uma toalha ao ter contato com uma área que sabe que vai suar( sauna)
11) A utilização de amalgama nos dentes causa disbiose (problemas com a flora intestinal)
12) Dê preferencia ao parto normal e a amamentação até quando a criança quiser e você tiver condições (uma médica amamenta seu filho até os 3 anos)
13) O que é para uns alimento para outros é veneno (tente sentir os alimentos que te fazem mau e pare de comer)
14) O Mofo e o bolor é um veneno para nós fibromialgicos.
15) Não dar soja para crianças em excesso pois pode causar problemas de tireóides.

São algumas dicas iniciais, depois volto com outro artigo!!!

Cristian Willians Salemme
Homem com fibro há 10 anos!!!


sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Chegando à Raiz da Fibromialgia

por Janis Leibold, Assistant Editor, fibromialgia Rede

Enviado: 28 de outubro de 2011

Enquanto muitos pesquisadores estão estudando sangue e urina de pacientes com fibromialgia para determinar se as anormalidades minerais existem, uma equipe da Coréia está tomando uma nova abordagem, indo diretamente a raiz do problema .* O estudo de elementos-traço em amostras de cabelo mostram que pacientes com fibromialgia têm menores níveis de minerais importantes em comparação com adultos saudáveis.

Usando 44 mulheres com fibromialgia e 122 controles saudáveis, os pesquisadores cortaram os cabelos do topo das cabeças, muito próximo às raízes, para realizar suas análises. Como investigadores da cena do crime, a equipe de pesquisa liderada por Nam-Seok Joo, MD, pacientes cuidadosamente selecionados e controlados que tinham características semelhantes em relação à idade, massa corporal, e hábitos de vida. Mulheres com outras doenças que poderiam influenciar a sua amostra de cabelo foram excluídas do estudo. Todos os participantes, com média de 44 anos de idade, tiveram que se abster do uso de gel de cabelo ou aplicar qualquer tipo de processamento químico (como coloração ou permanentes), pelo menos, duas semanas antes do corte.

A análise mostrou que cabelo limpo de pacientes com fibromialgia tinham níveis significativamente mais baixos de cálcio, magnésio, cobre, ferro e manganês. Muitos outros minerais, como o cromo, selênio, potássio, fósforo, sódio e zinco, não diferiu entre os pacientes e controles.

Relatórios anteriores olhando o status mineral em pacientes com fibromialgia têm sido muito misturados e muitas vezes conflitantes. Joo aponta para o problema inerente destes estudos antes das amostras de sangue ou urina. O corpo é feito para se adaptar às novas exigências, de modo que muitos minerais são roubados dos ossos para manter os níveis de sangue suficiente. E alterações na urina não podem dizer muito sobre o nível de armazenamento de minerais nos ossos ou outros tecidos. Entretanto, a análise do cabelo deve fornecer uma imagem mais precisa do status do corpo mineral em geral.

Então, o que exatamente significa ser baixa nos cinco minerais identificados por Joo?

Mais estudos são necessários, mas os pontos de Joo têm demonstrado em vários relatórios que pacientes com fibromialgia faltam os antioxidantes necessários para neutralizar produtos químicos reativos que podem interferir com as funções celulares. Este, por sua vez, leva a um ambiente de estresse oxidativo e poderia ser responsável por sintomas envolvendo os músculos, espasmos e cãibras, fraqueza, fadiga neuromuscular, e insônia.

"Vários estudos têm explorado a relação entre pacientes com fibromialgia e estresse oxidativo. Outros estudos investigaram a composição elementar dos pacientes, mas eles inquiriram apenas amostras de sangue e urina ", informou Joo. "Os últimos estudos, enquanto potencialmente úteis, com vista para o conteúdo mineral do cabelo. O ensaio mineral cabelo é um bom método para explorar o status mineral no nível celular. "

Embora não seja prática para começar a tomar uma barragem inteira de suplementos minerais caros, pacientes com fibromialgia devem considerar tomar um multivitamínico diariamente de amplo espectro e um suplemento mineral que contém 100 por cento dos nutrientes essenciais, incluindo ferro.

Níveis de minerais (em média)

Controles saudáveis

Pacientes com fibromialgia

Cálcio

1.093 mcg

775 mcg

Magnésio

72 mcg

52 mcg

Cobre

40 mcg

28 mcg

Ferro

7,1 mcg

5,9 mcg

Manganês

190 ng / g

140 ng / g

* YS Kim, et al. J Med Sci-coreano 26 (10) :1253-7, 2011.

Fonte: http://www.fmnetnews.com/latest-news/getting-to-the-root-of-fibromyalgia

Tradução: google

terça-feira, 1 de novembro de 2011

O QUE A MÍDIA PODE FAZER POR NÓS?




O QUE A MÍDIA PODE FAZER NÓS?

Amigos queridos, desde o começo da nossa Associação tenho lutado de forma assídua para levar o tema FIBROMIALGIA para a mídia, pois conforme enumero abaixo alguns dos nossos problemas e dificuldades seriam amenizados com a utilização das mídias:

1) INFORMAÇÃO PARA MÉDICOS
Hoje existe uma falta de informação enorme sobre a fibromialgia até pelos médico, segundo pesquisa realizada pelo portal G1.com 77% dos clínicos e 84% dos especialistas (reumato, neuro, psiquiatras e especialistas em dor) disseram que a enfermidade não é muito conhecida pelos colegas de trabalho, se eles mesmos assumem essa deficiência o que será de nós? Quantas vezes ao irmos em uma emergência falamos que temos fibromialgia e ouvimos você tem fibroquê? Assim temos uma real ideia do despreparo quanto ao assunto. A culpa é deles? Ao meu ver sim, pois as associações de classe deveriam ter um enfoque maior no assunto através de jornais e e-mails, porém tem-se notado esse interesse na atualidade... Mas por um lado podemos fazer nossa parte pois toda vez que se leva o assunto para a mídia obrigamos cada vez mais que eles se atualizem sobre o assunto.

2) INFORMAÇÃO PARA PORTADORES DA SÍNDROME
Existem muitas pessoas que se identificam com os personagens das matérias veiculadas a ponto de achar que sofrem desse mau, assim podem procurar um especialista para saber se realmente estão nessa condição ou não. Outro ponto que acredito ser muito importante é a atualização que essas matérias trazem para aqueles que já tem o diagnóstico, pois a mídia tem o poder de mostrar novidades em tratamento, exemplo do que outras pessoas fazem e exemplifica que pessoas sofrem tanto quanto elas.

3) INFORMAÇÃO PARA A POPULAÇÃO EM GERAL
Existe o paradigma de que fibromialgia é doença simples, porém em alguns casos ela é severa e até incapacitante, e quando se leva o assunto a mídia de forma séria e explicita a população em geral incluindo familiares e amigos percebem que o problema é bastante complexo e passa a respeitar e apoiar a pessoa.Das vezes que participei de matérias na TV, Revistas e Jornais sempre recebi o feedback de que ajudei diversas pessoas no relacionamento familiar e corporativo. Seja por uma melhor tratativa do marido, dos filhos e dos pais, ou maior compreensão de colegas de trabalho e até mesmo com o fato de familiares e amigos passarem a dar atenção assiduamente.

4) INFORMAÇÃO PARA GOVERNO E PREVIDÊNCIA SOCIAL
Esse assunto é muito sério e importante mas também acredito que a mídia tem grande contribuição para que nossos governantes entendam nossas reais necessidades e faça com que as políticas públicas tenha enfoque num tratamento multidisciplinar que seja digno e respeitoso para com o portador da Síndrome de fibromialgia.Hoje para ter esse tratamento multidisciplinar digno é preciso desembolsar muito dinheiro pois as diversas especialidades são caras e nem todas são encontradas no serviço público e quando encontradas a quantidade de vagas é insuficiente o que gera filas de espera.Quanto a previdência social, precisa reconhecer a complexidade da fibromialgia e os requisitos para um bom tratamento, avaliando caso a caso a necessidade de readaptações e verificando na essência se a pessoa tem condições de retorno ao trabalho, visto que nos quadros severos a utilização de medicações controladas e as patologias associadas pode impedir ou interferir a atividade profissional de qualquer espécie. Se por muitas vezes temos nossa vida social, familiar e afetiva afetada o que será de nós se não formos tratados dignamente quando ficamos doentes e nossa parte profissional acaba sendo muito prejudicada ou até obrigados abandononá-las. Apesar de tudo acredito que o fibromialgico que esteja em um grau elevado de sofrimento e sintomas deve ser afastado ou até mesmo ser aposentado, principalmente se tiver outras doenças associadas.

Sei que você que está lendo, deve estar questionando a falta de alguns itens mas classifico esses como os mais importantes. Na vida todos tem direito a alimentação, moradia, estudo, cultura, saúde mas na verdade todos tem direito a não ter DOR.
Quem tem dor, tem pressa!!!

CRISTIAN WILLIANS SALEMME Homem de FIBRO a 10 anos com uma ideologia que não vai salvar o mundo, mas pode ajudar os outros!!!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

TRATAMENTOS PSICOTERAPÊUTICO GRATUITOS EM SÃO PAULO/SP


Para o tratamento da fibromialgia a psicoterapia cognitiva comportamental é a mais indicada.

A psicoterapia cognitiva ou cognitiva comportamental, que é a abordagem que uso com as pessoas que me procuram, leva principalmente em conta as interpretações que cada um dá a si e aos acontecimentos para tentar entender e modificar suas emoções e seu modo de agir, esses são seus pilares centrais.

O foco principal da terapia está em como os problemas (atuais ou não) interferem com sua vida diária, ajudá-lo a entender esses problemas e a desenvolver maneiras de lidar com eles.

É um tipo de psicoterapia mais ativa (você não vai falar 50 minutos sem quase ouvir minha voz), onde a psicóloga pode pedir para você fazer ou pensar sobre certas coisas entre as sessões (como uma "lição de casa") ou sugerir certos comportamentos (que fazem parte das técnicas da abordagem e/ou foram demonstrados serem eficientes para determinados casos, pela literatura científica).

PSICOTERAPIA GRATUITA em SÃO PAULO/SP

LEMBRE-SE: Para marcar uma avaliação, é necessário levar um encaminhamento médico. Estes locais de atendimento têm fila de espera, por isso, não se acomode e ligue o quanto antes.

Clínicas para atendimento psicológico gratuito em São Paulo divididas por bairros:

ALPHAVILLE
Clínica Psicológica Objetivo- Universidade Paulista
Alameda Amazonas, 492
Telefone-4191-1078

ACLIMAÇÃO
Clínica Psicológica Objetivo- Universidade Paulista
R-Apeninos, 294
Telefone-3341-4250

ALTO DA LAPA
CEAF- Centro de Estudos e Orientação da Família
R-Japuanga, 235
Telefone-3022-9596

BUTANTÃ
Clínica Psicológica da USP
Av-Prof Lúcio Martins Rodrigues Travessa 5 Bloco 21
Telefone-3031-2420/ 3091-4281

CANTAREIRA
Clínica Psicológica Objetivo- Universidade Paulista
Av-Inês, 4740
Telefone-6231-2914

CENTRO
Clínica Psicológica Mackenzie
R-Maria Antônia, 358 1 andar
Telefone-3256-6217/3256-6827

IPIRANGA
Clínica Psicológica São Marcos
R-Clovis Bueno de Azevedo, 176
Telefone-3491-0500/274-5711

ITAQUERA
Clínica Psicológica Universidade Camilo Castelo Branco
R-Carolina Fonseca, 357
Telefone-6170-0188/ 6170-0199

MÓOCA
Clínica de Psicologia Aplicada-Universidade São Judas Tadeu
R-Marcial, 45
Telefone-6099-1831
Associação Damas Salesianas
R-Tabajaras, 556
Telefone- 6604-7622

PARAÍSO
Clínica Paulistana de Psicologia
R-Correa Dias, 93 (ao lado do metrô Paraíso)
Telefone-5549-6593

PACAEMBÚ
CEP-Centro de Estudos Psicanalíticos
Rede de atendimentos profissionais em diferentes regiões em São Paulo
R-Almirante Pereira Guimarães, 378
(triagens neste endereço e posterior encaminhamento)
Telefone-3872-2217

PERDIZES
Clínica Psicológica “Sedes Sapientiae”
R-Ministro de Godoi, 1484
Telefone: 3866-2735 para inscrição p/ triagem
Telefone:3866-2757 p/ vítimas de violência
Clínica Psicológica da PUC
R-Monte Alegre, 961
Telefone- 3670-8040
INEF-Instituto de Estudos e Orientação da Família
R-Traipu, 66
Telefone-3667-8688

PINHEIROS
IPQHC- Instuto de Psiquiatria do HC
R. Dr. Ovídio Pires de Campos, 785
Telefone-3069-6277

POMPÉIA
Clínica Psicológica Objetivo- Universidade Paulista
R-Carlos Vicari, 124
Telefone-3662-5255

SANTO AMARO
Clínica Psicológica da FMU
Av-Sto Amaro, 1239
Telefone-3842-5377
UNISA
Rua Humboldt, 29
Telefone- 2141-8870.

SÃO BERNARDO DO CAMPO
Universidade Metodista
R-Dom Jaime de Barros Câmara, 1000
Telefone-4366-5358

TATUAPÉ
Clínica Psicológica São Marcos
R-Coelho Lisboa, 334 (ao lado do metrô Tatuapé)
Telefone-6193-3131 ramal 5909
Clínica Psicológica Objetivo- Universidade Paulista
R-Vitório Ramalho, 154
Telefone-6941-2075

VILA MARIANA
Centro de Referência da Infância e da Adolescência- CRI
R-Coronel Lisboa, 60
Telefone-5082-3961
ABPS-Associação Brasileira de Psicodrama e Sociodrama
Rua Eça de Queiroz, 220
Telefone-5571-2602/ 5575-5994
Faculdade de Ciências de Saúde-FACIS
Rua D. Carolina, 82 – Vila Mariana

http://www.facis.edu.br

Telefone : (11) 5085-3141


Fonte: http://www.psicoterapiacognitiva.com.br/

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

UMA HISTORIA DE DOR

Minha historia começa aos 9 anos e meio qdo descobri estar com febre reumática e corea (Corea de Sydenham: Corea de Sydenham é uma doença auto-imune que afeta crianças e adolescentes, sendo desencadeada por infecções estreptocócicas b-hemolíticas do grupo A. Febre Reumática desenvolve em 2-3% das crianças com faringite estreptocócica, e 10-30% dos pacientes com Febre Reumática desenvolvem Corea de Sydenham (5). Pesquisadores estabeleceram que sintomas obsessivo-compulsivo estão presentes em mais de 70% dos pacientes com Corea de Sydenham e que esta doença é fator de risco para desenvolvimento posterior de TOC. As obsessões e compulsões associadas com a Corea de Sydenham tendem a surgir subitamente e Ter um curso episódico. O desenvolvimento dos sintomas tanto de corea quanto de TOC tem sido associado à presença de anticorpos direcionados contra o citoplasma de células localizadas no núcleo caudado e subtalâmico, sendo que a severidade dos sintomas correlaciona-se com a titulação de anticorpos antineuronais.)

Ai minha vida começou a se modificar e virar idas e vindas de médicos, cardiologistas pq afetou o coração e neurologistas para tratar dos distúrbios neurológicos, com essa idade eu não fazia nada sozinha, não comia, nem me penteava e nem banho tomava sozinha, perdi toda a minha coordenação motora , foi um novo recomeço de aprendizado, aprender a andar , a comer, a escrever, meus braços ou melhor meu corpo não respondia a nenhum comando, meu cérebro não funcionava direito,enfim foram tempos de dor aos meus pais por verem a filha caçula nessa situação a mim na época nem tanto pois eu nem sabia ao certo o que se passava estava meio que alienada, em alguns meses de tratamento por ter sido descoberto logo no começo eu fui retomando a vida normal, como eu tinha muitas dores e minha mãe não queria dar o braço a torcer para não me deixar manhosa, era chamada de Maria das Dores, estava no 4,º ano primário que quase repeti se não fosse a persistência de minha professora a qual sou muito grata ate hj e por esse exemplo eu me formei professora.

Bem depois de tudo voltar quase ao normal as idas e vindas aos médicos foram diminuindo me tratei até os 22 anos mas a sombra da doença nunca me abandonou pois eu tinha a prescrição medica de que na menopausa podia voltar tudo novamente, isso sem contar que poderia ser uma doença hereditária, convivi com o medo de meus filhos poderem desenvolver a mesma doença ate que eles passaram pela idade critica, mas voltando a narração, em algumas vezes, depois de ter tido alta pelos médicos que me trataram desde pequena, fui parar no hospital toda inchada e sem motivo algum, exames aos montes eram feitos, e nada, ninguém descobria o que eu tinha, peregrinei em médicos, hospitais e nada de descobrirem o que se passava, tinha épocas do ano que não podia mexer a cabeça parecia que tudo estava solto por dentro, dores horríveis, mas ninguém sabia dizer o pq de tudo isso, cresci me formei, me casei e tudo continuava como antes, ao engravidar do meu primeiro filho tive problemas sérios, mas o gineco e obstetra dizia ser por que eu tinha útero infantil, uma das seqüelas dos remédios que tomei qdo doente, por 3 vezes quase perdi meu filho repouso absoluto por 8 meses e meio e na hora do lindinho nascer, pressão alta , pasmem 12x8 era alta naquela época sempre tive a pressão muito baixa e qdo chegava a 12x8 estava alta, bom meu lindo nasceu de uma cesariana as pressas, pois ele já havia evacuado , tiraram ele as pressas e ai eu descobri outro problema ( que mais tarde me foi relatado ser problemas de quem tem fibro) sou alérgica a anestesia, mas esse foi o menor dos problemas meu filho graças a Deus nasceu saudável e o é até hj, minha vida foi seguindo normal , entre meus dois filhos perdi 3 bebes, problemas de um ovário sem vergonha que não produz hormônio, (seqüelas da febre reumática), enfim, segui a vida sem muitos problemas, consegui engravidar da minha filha e foi uma batalha dura, mas 8 meses depois de muito esforço e persistência nascia minha princesa, problemas na hora do parto, ela nasceu de 8 meses pq entrei em pré eclampsia com a pressão a 13x9, pressão normal pra quem tem a pressão normal mas pra mim não, eu tinha problemas de pressão alta na gestação, descobri isso na minha segunda gestação, na hora da cesárea o problema da anestesia, tomei um derivado de xilocaína, somente um anestésico pra não sentir dor, senti o medico fazer tudo, estourar minha bolsa a água quente escorrendo na perna, senti ele afastando as carnes pra poder tirar a nenê e na hora que ele tirou uma sensação estranha de se ter arrancando um pedaço do seu corpo, mas ela nasceu bem, isso foi o mais importante, desde esse dia tive problemas de pressão alta, convivo com isso há 21 anos, controlo , mas é mais um problema de saúde na minha vida, minha filha nasceu em 90 em 94 precisei retirar uma parte do útero pro ter alguma hemorragias e foi constatado ter endometriose, ai o problema da anestesia o medico não quis me escutar e me lascou uma peridural pronto tive uma convulsão o doido do medico manda o anestesista dar a geral eu quase morri era pra tirar o útero todo e com isso ele tirou somente uma parte, bom todos esses problemas ocorreram na minha vida até que em 2005 tive uma dor fortíssima nas costas, não conseguia respirar tinha dificuldade pra andar fui ao medico e qdo cheguei la as enfermeiras do pronto atendimento quase enlouquece, fui ao centro clinico pequeno do que na época era meu convenio, fui transferida pro hospital com suspeita de infarto, (quase infarto de verdade ao saber disso), chegando ao hospital fiz um monte de exames e adivinhem não deu nada a dor nas costas passou pro peito eu não conseguia andar me faltava o ar o peito doía tato que parecia que ia rasgar, voltei ao medico , fui pro hospital novamente e fiquei internada um dia inteiro colhendo sangue varias vezes no dia e nada, ai escrevi uma carta de reclamação ao convenio , eles me encaminharam a um medico generalista e ai veio a confirmação “vc tem fibromialgia, uma doença que faz doer os músculos, vc não vai morrer Del mas terá que conviver com dores”, e ai começou o meu calvário novamente, dores, dores e mais dores, kda dia doía um lugar, no começo foi difícil entrei no Google e fui pesquisar , fiquei chocada com tudo que li, kda dia que passa descubro que tudo pelo que passei na infância era disso e ninguém sabia o que era, hj em dia posso dizer que tenho uma vida tranqüila tenho dores sim, muitas tem dia que não consigo posição pra dormir de tanta dor, mas ainda consigo levantar da cama todos os dias, tem dias que as tonturas me maltratam mas eu faço um grande esforço e levo adiante, tem dias que a depressão me judia , mas com fé em Deus eu tento ao menos fazer de conta que ela não esta me fazendo mal, tenho convivido com o diagnostico da fibro desde 2005 mas pelos sintomas eu a tenho desde criança, hj em dia conto com a ajuda de um grupo de pessoas que tb são fibromialgicas e temos um grupo no facebook que se chama Fibromialgia Associação e nesse grupo discutimos nossos sintomas, nos apoiamos mutuamente, mesmo que virtualmente pois tem horas que nem nossos familiares acreditam nas nossas dores.Eu me trato no grupo de dor do HC de São Paulo mas as vezes nem esse grupo de dor me ajuda nos meus momentos de sofrimento, bom esse é o meu relato ,espero ter conseguido passar o que eu passei ate ter descoberto a fibromialgia.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

ESTRESSE E PÂNICO


Sofrendo de Estresse ?

O que é?

O Transtorno de Pânico se caracteriza pela ocorrência espontânea de ataques de pânico. Os ataques de pânico duram quase sempre menos de uma hora com intensa ansiedade ou medo, junto com sintomas como palpitações, respiração ofegante e até mesmo medo de morrer. A pessoa pode ter múltiplos ataques durante um único dia até ou apenas, alguns ataques durante um ano. Estes ataques podem ocorrer acompanhados por agorafobia, que é o medo de estar sozinho em locais públicos, especialmente, locais de onde uma rápida saída seria difícil em caso de ocorrer um ataque de pânico.

O que se sente?

O primeiro ataque de pânico muitas vezes é completamente espontâneo, embora os ataques de pânico, em geral, ocorram após excitação, esforço físico, atividade sexual ou trauma emocional. O ataque freqüentemente começa com um período de 10 minutos de sintomas que aumentam rapidamente. Pode se sentir extremo medo e uma sensação de morte e catástrofe iminente. As pessoas, em geral, são incapazes de indicar a fonte de seus medos. Pode haver dificuldade de concentração, confusão, aceleração do coração, palpitações, falta de ar, dificuldade para falar e um enorme medo de morrer. O ataque dura de 20 a 30 minutos, raramente mais de uma hora.

Uma definição interessante de alguém que sofre os sintomas na própria pele você vê aqui:

Tudo começa quando convidam você para ir em algum lugar. Na hora, fica toda animada, só pensando nos prós: poxa, que legal vai ser encontrar esse pessoal, vou dar muita risada. Depois, começa a pensar nos contras: vai começar tarde, vou ficar com sono, não vou poder fumar. E começa a arrumar desculpas para não ir: estou cansada... já tinha combinado de sair com outros amigos. Se insistem, começa a ter taquicardia, falta de ar, uma angústia que a deixa paralisada. É a síndrome do pânico. - postada por Scarlett Ohara

Como se faz o diagnóstico?

O médico diagnostica o transtorno de pânico através do relato contado pelo paciente, procurando diferenciar de outras doenças físicas ou psicológicas. Muitas vezes a pessoa procura ajuda quando nota que não está mais conseguindo sair sozinha de casa por medo que ocorra um ataque de pânico.

Como se trata?

A pessoa deve procurar um médico que provavelmente irá associar um modelo de psicoterapia com uma medicação. Os sintomas melhoram dramaticamente nas primeiras semanas de tratamento. Atualmente os medicamentos mais empregados são os antidepressivos. Os sintomas melhoram consideravelmente nas primeiras semanas de tratamento.