Seja Bem Vindo ao Universo do Fibromiálgico

A Abrafibro - Assoc Bras dos Fibromiálgicos traz para você, seus familiares, amigos, simpatizantes e estudantes uma vasta lista de assuntos, todos voltados à Fibromialgia e aos Fibromiálgicos.
A educação sobre a Fibromialgia é parte integrante do tratamento multidisciplinar ao paciente. Mas deve se extender aos familiares e amigos.
Conhecendo e desmistificando a Fibromialgia, todos deixarão de lado preconceitos, conceitos errôneos, para darem lugar a ações mais assertivas cem diversos aspectos, como: tratamento, mudança de hábitos, a compreensão de seu próprio corpo. Isso permitirá o gerenciamento dos sintomas, para que não se tornem de difícil do controle.
A Fibromialgia é uma síndrome, é real e uma incógnita para a medicina.
Pelo complexo fato de ser uma síndrome, que engloba uma série de sintomas e outras doenças - comorbidades - dificulta e muito os estudos e o próprio avanço das pesquisas.
Porém, cientistas do mundo inteiro se dedicam ao seu estudo, para melhorar a qualidade de vida daqueles por ela atingidos.
Existem diversos níveis de comprometimento dentro da própria doença. Alguns pacientes são mais refratários que outros, ou seja, seu organismo não reage da mesma forma que a maioria aos tratamentos convencionais.
Sim, atualmente compreendem que a síndrome é "na cabeça", e não "da cabeça". Esta conclusão foi detalhada em exames de imagens, Ressonância Magnética Funcional, que é capaz de mostrar as zonas ativadas do cérebro do paciente fibromiálgico quando estimulado à dor. É muito maior o campo ativado, em comparação ao mesmo estímulo dado a um paciente que não é fibromiálgico. Seu campo é muito menor.
Assim, o estímulo dispara zonas muito maiores no cérebro, é capaz de gerar sensações ainda mais potencialmente dolorosas, entre outros sintomas (vide imagem no alto da página).
Por que isso acontece? Como isso acontece? Como definir a causa? Como interromper este efeito? Como lidar com estes estranhos sintomas? Por que na tenra infância ou adolescência isso pode acontecer? Por que a grande maioria dos fibromiálgicos são mulheres? Por que só uma minoria de homens desenvolvem a síndrome?
Estas e tantas outras questões ainda não possuem respostas. Os tratamentos atuais englobam antidepressivos, potentes analgésicos, fisioterapia, psicoterapia, psiquiatria, e essencialmente (exceto com proibição por ordem médica) a Atividade Física.
Esta é a parte que têm menor adesão pelos pacientes.
É dolorosa no início, é desconfortante, é preciso muito empenho, é preciso acreditar que a fase aguda da dor vai passar, trazendo alívio. Todo paciente precisa de orientação médica e/ou do profissional, que no caso é o Educador Físico. Eles poderão determinar tempo de atividade diária, o que melhor se adequa a sua condição, corrige erros comuns durante a atividade, e não deixar que o paciente force além de seu próprio limite... Tudo é comandado de forma progressiva. Mas é preciso empenho, determinação e adesão.

Quer saber o que é FIBROMIALIGIA? Leia na coluna à sua esquerda.

Seja bem vindo ao nosso universo, complexo, diferente, invisível... mas é preciso lembrar que o Fibromiálgico não é invisível, e seus sintomas são reais.
Respeite o fibromiálgico!
Nem tudo que você não vê, você desacredita...
Com a fibromialgia não é diferente.
Ela é uma das síndromes ou doenças invisíveis.
Nenhum paciente escolhe ser fibromiálgico.
Carinho, respeito, apoio, entendimento, ações e benefícios governamentais e harmonia ajudam e muito... depende da sociedade, dos familiares, dos amigos.
Os órgãos governamentais que insistem em desmerecer e desrespeitar o paciente, e para mudar este quadro é que JUNTOS estamos lutando. Faça sua parte também.
Não seja você apenas mais um nesta lista. Você pode fazer a diferença. #JuntosSomosMaisFortes
Agradecemos sua atenção.
Boa Leitura!

Sandra Santos -
Diretora Geral e Fundadora
ABRAFIBRO - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FIBROMIÁLGICOS

TRADUTOR

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Fibromialgia em homens



Em todos os países em que se estudou a freqüência da fibromialgia (FM) na população, as mulheres sempre são mais afetadas, por motivos ainda não totalmente conhecidos, mas que já foram discutidos em outro editorial.

Não existem muitos estudos realizados com homens portadores de FM, e uma dificuldade adicional neste aspecto consiste no fato de que muitas vezes os homens com FM são excluídos de estudos com medicações, a fim de que se tenha uma população mais homogênea.

Os homens com FM apresentam-se de maneira geral mais tarde ao médico, e o diagnóstico é feito também de maneira mais atrasada. O grande motivo deste atraso é ainda a dificuldade do médico pensar em FM quando atende um paciente do sexo masculino. Mesmo que o diagnóstico de FM seja suspeitado já no começo, muitas vezes torna-se obrigatória uma investigação mais aprofundada, na busca de diagnósticos diferenciais.

Parece não haver uma diferença na maneira de apresentação dos pacientes homens com FM em comparação com as pacientes do sexo feminino, principalmente em relação às queixas básicas de dor difusa, alterações do sono e fadiga.

Recentemente, um grupo de médicos da Espanha publicou uma avaliação de pacientes masculinos com FM, e demonstrou que pacientes homens com fibromialgia apresentam uma maior chance de estarem afastados do trabalho, uma percepção mais negativa de sua saúde e uma porcentagem maior de história de problemas psiquiátricos em comparação com mulheres com FM. Este fato muitas vezes é observado na prática diária. Vários especialistas em FM comentam que é um pouco mais difícil a abordagem de pacientes homens com FM.

Parece-nos que o impacto da FM é grande no homem, pois dele sempre se espera um papel de principal provedor de sustento da família, e também de “ser forte” e não de não reclamar sobre problemas de saúde. A FM quebra este paradigma, levando a um sofrimento adicional.

Não há diferenças de tratamento para a FM em homens, embora um estudo (com a Duloxetina) demonstrou que pacientes do sexo masculino não respondem bem a este medicamento. A atividade física, a melhora do sono, o controle da dor e o manejo do componente psicológico devem sempre ser realizadas em conjunto para o alívio dos sintomas, enquanto estudos mais aprofundados sobre o manejo da FM em homens não são publicados. .
 

Eduardo S. Paiva
Chefe do ambulatório de fibromialgia do Hospital de Clínicas, UFPR

Fonte: http://www.fibromialgia.com.br/novosite/index.php?modulo=pacientes_outros_editais&id_mat=65

sábado, 24 de agosto de 2013

MENOPAUSA E FIBROMIALGIA



Como a fibromialgia (FM) afeta predominantemente mulheres, muito se pergunta como a menopausa (cessação das menstruações) pode afetar os sintomas da FM.

Infelizmente, a ciência médica não apresenta uma boa resposta para esta pergunta. Neste editorial, analisaremos o problema mais detalhadamente, lembrando que o termo correto para esta fase da vida da mulher é climatério, sendo que o termo menopausa, medicamente, designa apenas a última vez que a mulher menstruou.

O principal hormônio feminino, responsável pelas características sexuais da mulher, é o estrogênio. É a falta do estrogênio que leva aos sintomas do climatério, como os fogachos (calorões), ressecamento de pele e mucosas e a irritabilidade. Aqui começa uma grande discussão. Se a FM é mais comum em mulheres, seria então o estrogênio a causa da fibromialgia? Se isto é um fato, então os sintomas da FM melhorariam com a menopausa?

Infelizmente, não é isso que se percebe, e sim que a FM acontece tanto antes e depois da menopausa. Em estudo recente em 216 pacientes com FM no climatério, foi demonstrado que na verdade os sintomas do climatério, principalmente os fogachos, são mais graves nas pacientes com FM dos que nas que não apresentam o problema. Isto confirma uma impressão geral de que a FM é uma síndrome que deixa a mulher mais sensível não só à dor, mas também a outras sensações corporais. Desta maneira, os sintomas da menopausa também seriam amplificados pela FM.

Quanto à pergunta se os estrogênios colaborariam com a FM, e por este motivo ela seria mais comum em mulheres, também não há uma boa explicação ou confirmação deste fato. Ainda não se conhece totalmente a ação do estrogênio na dor. Em algumas condições, como a enxaqueca, o estrogênio pode causar a dor de cabeça, como é visto nas pacientes que tem enxaqueca com as pílulas anticoncepcionais, mas também a sua falta pode desencadear crises, como por exemplo a enxaqueca logo antes da menstruação ou quando se interrompe a reposição hormonal subitamente.

Ainda existem estudos e mais estudos sobre a ação do estrogênio, não só na dor, mas também na inflamação. Estes estudos são ainda bastante contraditórios entre si, alguns com os hormônios aumentando a dor e a inflamação, e em outros, diminuindo-as.

A conclusão final é de que por enquanto, a FM e a fase do climatério devem ser avaliadas e tratadas de maneira separada, com o cuidado de que o tratamento de uma não afete o tratamento da outra. Se uma paciente acha que o uso de estrógenos alivia seus sintomas pós-menopausa, e o seu tratamento está recomendado por um ginecologista, não deve haver o receio de que este tratamento piorará os sintomas da FM. E se os sintomas da FM pioraram durante o climatério, o tratamento deve ser otimizado, com atividade física aeróbica, analgésicos, remédios para o sono e para os distúrbios de humor, se presentes. 


Eduardo S. Paiva
Chefe do ambulatório de fibromialgia do Hospital de Clínicas, UFPR

Fonte: http://www.fibromialgia.com.br/novosite/index.php?modulo=pacientes_outros_editais&id_mat=63

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

FIBROMIÁLGICAS DE NATAL (RN) TRATAMENTO GRATUITO!!!!!!!!!

Às nossas Irmãs de Natal (RN)!!! 
NÃO DEIXEM DE APROVEITAR ESSA OPORTUNIDADE!

Acabamos de entrar em contato com um dos responsáveis pelo Grupo de Apoio às Pacientes com Fibromialgia (infelizmente é só para mulheres), o Prof Dr. Rodrigo Pegado de Abreu Freitas

A Abrafibro já se apresentou ao Prof Dr. Rodrigo e colocou-se à sua disposição o que precisarem. 


Ele adorou que fizemos contato com eles e virá até nosso blog para conhecer nosso trabalho.


As inscrições estão abertas permanentemente. 


Esse Grupo/Projeto é feito na Universidade Potiguara em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte.



O atendimento é multidisciplinar, ou seja, há muitos profissionais especialistas, que dão todo o amparo necessário para cada caso e sintomas da Fibromialgia.



Os pacientes passam por uma triagem, para que o tratamento seja feito de forma a atender as particularidades de cada caso. 


Vá até a recepção da Clínica de Fisioterapia da UNP. 

E O MELHOR DE TUDO! 


NÃO HÁ CUSTOS PARA O TRATAMENTO! 

Espalhe essa notícia!!!


Prof Dr. Rodrigo Pegado de Abreu Freitas 


A Família ABRAFIBRO está muito Feliz em saber sobre o projeto, o atendimento à comunidade, e a seriedade que nos transmitiu em nosso contato telefônico. 
Saiba que estamos à disposição para o que estiver ao nosso alcance para ajudá-los.
É um prazer saber que no Nordeste existe um Grupo de Profissionais que se sensibilizou e atua de forma séria e científica para o bem estar e a tão sonhada qualidade de vida do paciente fibromiálgico.
Nosso muito Obrigado!
Sandra Santos e Cristian Salemme
Administradores e Fundadores



Fonte: Prof Dr. Rodrigo Pegado de Abreu Freitas (via fone), e pelo blog http://fibromialgiarn.blogspot.com.br/


domingo, 18 de agosto de 2013

Diagnóstico de Fibromialgia: uma entrevista com o Dr. Bruce Gillis, CEO da EpicGenetics

Entrevista conduzida por abril Cashin-Garbutt , BA Hons (Cantab)
Bruce Gillis ARTIGO IMAGEM
Visão da Indústria

Por favor, você pode dar uma breve introdução a fibromialgia (FM) e explicar como ele está atualmente diagnosticada?

Atualmente, é um diagnóstico de exclusão. Os pacientes acabam gastando, de acordo com o que foi publicado na literatura médica, até 3 - 5 anos indo de médico em médico em busca de um diagnóstico, porque eles tendem a ter sintomas inespecíficos de natureza subjetiva.
Os médicos, em seguida, colocam-no em milhares de testes. A literatura diz que o paciente médio vai gastar 4.800 dólares - 9.300 dólares por ano para 3-5 anos antes de todos os testes tiverem resultados negativos e, em seguida, o tipo de médico ou encolhe os ombros e diz: "Eu não consigo encontrar nada de errado com você . Deve ter fibromialgia ".
Portanto, é um processo de eliminação. Como resultado, os pacientes estão se sentindo estigmatizado, porque ninguém acredita neles. Até este teste estivesse disponível não havia nada de objetivo para confirmar o diagnóstico.

Por que o diagnóstico FM atual tendem a demorar tanto?

É porque os médicos na maior parte achava que a fibromialgia é um "diagnóstico falso" - que não há nada objetivamente errado com essas pessoas e que é uma doença que atinge principalmente subjetiva neuróticos, histéricos, mulheres hipocondríacas.
O que sabemos agora através da investigação e que outros já disseram, é que isso acontece em 1 de cada 12 mulheres, 1 em cada 20 homens e também sabemos que atinge crianças.
Sabemos também que, até agora, o diagnóstico desta doença foi pensado para ser no reduto tanto de neurologistas, reumatologistas e psiquiatras, mas os nossos detectados biomarcadores provam que não é um processo do sistema imunológico que é ligado a fibromialgia.
Agora, é fibromialgia apenas uma anormalidade no sistema imunitário do organismo ou da fibromialgia que está causando uma anomalia do sistema imunológico? Essa parte não sabemos ainda, mas o que somos capazes dizer de forma inequívoca é que existe este sistema imunológico único, conjunto de biomarcadores em fibromialgia.
Onde tem havido algumas críticas diz respeito à pergunta: "Como você sabe que estes biomarcadores são exclusivos para fibromialgia? Talvez eles também estão acontecendo em outras doenças reumáticas tais como, lúpus ou artrite reumatoide ".
Estamos atualmente no meio de um protocolo de pesquisa relacionada com um especialista mundial em fibromialgia, Dr. Dan Wallace. Eu posso lhe dizer de forma inequívoca, com base nesta pesquisa que estes biomarcadores não são vistos em pacientes com lúpus ou artrite reumatoide . Eles são únicos para a fibromialgia.
Dr. Dan Wallis
Pretendemos apresentar um manuscrito sobre estes resultados, espero que, em 60 - 90 dias.
Eu também posso dizer que ao publicar o nosso trabalho apresentamos as nossas conclusões para a Associação Americana de Química Clínica, a maior organização de suporte aos laboratórios e departamentos de patologia em todo os Estados Unidos, e nós ganhamos o prêmio de pesquisa em circulação em 2012 por causa da nossa descoberta.

Por que muitos pacientes diagnosticados são demitidos por seus médicos?

É porque se estivesse a sondar 100 médicos eu apostaria que 90 dos 100 não iria acreditar que existe uma coisa chamada fibromialgia.
Como conseqüência, quando você tem essa mentalidade, os profissionais de saúde estão sempre à procura de algo mais para anexar a este conjunto de sintomas.
Então você acabam ficando frustrados pacientes e médicos. Não é uma combinação muito saudável.

Por que EpicGenetics decidiu desenvolver um teste para FM?

Foi puro acaso. EpicGenetics é um amparo para programas de investigação que temos vimos mantendo.
Temos programas de pesquisa da Universidade de Illinois College of Medicine, em Chicago, e na Escola de Saúde Pública de Harvard, em Boston.
Fazemos pesquisas em áreas onde há uma necessidade para o desenvolvimento de um teste de diagnóstico, onde nenhum existe, mas ainda há uma grande demanda.
FM1 RS
Na fibromialgia foi puramente acaso. Eu fui pessoalmente convidado a avaliar 17 indivíduos que tinham a declaração de incapacidade por causa da fibromialgia.
Quando eu vi essas pessoas, eu era originalmente um  Cético sobre a Fibromialgia - eu estava nesse grupo de 90 dos 100 médicos que disseram que não existe tal coisa como a fibromialgia.
O que acabamos fazendo é que disse: "Poderia haver um denominador comum nestes pacientes? Por que essas pessoas têm esses sintomas semelhantes? Por que os sintomas variam literalmente da cabeça aos pés? Partindo de confusão mental, às vezes chamado de "fibroFog ", para difundir dor de fadiga para a depressão , desconforto gastrointestinal, muitas vezes chamado de síndrome do intestino irritável , ansiedade , depressão, literalmente, o que poderia ser o denominador comum que pudesse explicar da cabeça aos pés a situação? "
O único que pude pensar era no sistema imunológico. Então decidimos tomar essas 17 pessoas e compará-los com 17 pessoas saudáveis. Nós fizemos uma análise de múltiplos marcadores do sistema imunológico em ambos os grupos.
Para nossa surpresa, encontramos um conjunto incrível de mudanças nas proteínas do sistema imunológico chamadas quimiocinas e citocinas em pacientes com fibromialgia. Estávamos absolutamente literalmente aliviados, quando detectadas essas mudanças.
Então, disse: "Nós precisamos fazer um grande estudo clínico!" Por isso, fizemos um estudo muito maior, também na Universidade de Illinois, onde fizemos o estudo piloto de 17 pacientes com fibromialgia e 17 anos que eram saudáveis, um total de 34. Fizemos um estudo clínico maior com mais de 200 pacientes.
Demorou algum tempo, porque só queria olhar para os pacientes que tiveram fibromialgia e não outras variáveis ​​de confusão, sem outras doenças reumáticas ou neurológicas ou imunológica que poderia mascarar os resultados. Demorou quase dois anos.
Em seguida, apresentei os resultados para publicação. Eles foram publicados em um jornal revisado por cientistas - BMC Clinical Pathology.
Queríamos fazer duas coisas, precisamos ter algo em um jornal revisado por cientistas, mas também queríamos algo de acesso aberto, ou seja, quando você acessou o artigo na internet que não é só pegar que um parágrafo abstrato, você teria o artigo inteiro.
Nós escolhemos que criteriosamente e, com o propósito de obter o que achavamos que era o melhor do mundo para essa combinação. Se você acessar o artigo, você vai ver que o artigo foi citado tantas vezes que agora tem uma designação especial da BMC.
http://www.biomedcentral.com/1472-6890/12/25
FM3 RS

O que o processo de desenvolvimento envolve e que obstáculos tiveram que ser superados?

O maior obstáculo estava recebendo pacientes suficientes que só tinha fibromialgia e não qualquer outra doença que poderia estar afetando seu sistema imunológico.
Foi um processo muito caro, mais de um milhão de dólares foram gastos na pesquisa. Foi extenso e demorado.

Como foi financiado?

Foi financiado pela minha própria corporação médica.

Como é que a FM / um trabalho de teste ®?

Nós isolamos um determinado tipo de glóbulo branco chamado de células mononucleares do sangue periférico e, confrontamos essas células para determinar o quão saudáveis ​​elas estão funcionando e produzindo essas proteínas do sistema imunológico vitais, citocinas e quimiocinas.
Por esse processo, nós sabemos (em função da análise que fizemos nesse estudo piloto de 34 e no estudo clínico de mais de 200) que existem parâmetros para procurar e se o paciente não cumprir esses parâmetros, podemos dizer: "Eles não tem fibromialgia ".
FM2 RS

Quão sensível é o teste e como isso se compara com outros testes disponíveis no mercado?

A sensibilidade do teste, quando foi publicado pela primeira vez mais de 93%. Ele está agora em torno de 99%. Nenhum teste é 100%.
A especificidade do teste, quando foi publicado pela primeira vez há pouco mais de 89%. É agora em torno de 95%.
Portanto, este teste é tão sensível quanto um exame de sangue para HIV. Isso diz muito.

Onde está o teste disponível e como os pacientes podem acessá-lo?

O teste é facilmente disponível aqui nos Estados Unidos, você não pode ter um teste de laboratório, sem um médico, enfermeira ou médico assistente para requisitá-lo.
Então você pode pedir ao seu próprio médico que solicite o teste. Podem enviar-nos um e-mail ou fax-nos com a ordem de prescrição.
Se você não tem um médico ou não pode se dar ao luxo de ir a um médico, você pode preencher um questionário de saúde em nosso site. Se você tem bastante respostas "sim" sobre os sintomas relacionados com a fibromialgia, um dos nossos próprios médicos EpicGenetic vai aprovar o teste sem nenhum custo adicional.
Então, tudo o que precisamos para executar o teste é ter o sangue coletado. Precisamos de menos de um grama de sangue.
Nós podemos mandar coletar seu sangue a ser enviado por um posto central. Nós temos uma associação com uma empresa que oferece o serviço. Existem mais de 2000 estações nos Estados Unidos.
Se você não pode chegar à estação mais próxima (de maneira que também está incluído no preço), podemos enviar um flebotomista licenciado para onde você trabalha ou onde você mora e obter o seu sangue dessa maneira - novamente, sem nenhum custo adicional para fazê-lo.
FM5 RS

Então, é o teste atualmente disponível apenas em os EUA, ou é disponível em outros países?

Não, nós poderíamos obter o corpo de prova de qualquer lugar, contanto que nós possamos obter a amostra dentro de 24 horas. As células são viáveis ​​para apenas 24 horas.
Poderíamos, por exemplo, obter amostras da Europa. Eles apenas têm de ser enviados por Fedex.
Agora na taxa de teste de US $ 744, o custo da FedEx é de US $ 80 nos Estados Unidos.Se há algo adicional além daquele para obter a amostra, digamos, de Europa, só iria pedir ao paciente para pagar essa taxa extra.
Para que o sangue coletado e enviado via FedEx para enviar-nos, dos quais US $ 744, cada passos nos custou mais de US $ 200. Assim que é uma das razões pelas quais o ensaio é muito razoável.

Por que muitas pessoas não consideram FM ser uma "doença real" e você acha que esse teste vai mudar a sua opinião?

Oh meu Deus! Isso é o que nós pensamos ser a nossa maior realização - para legitimar o diagnóstico. Para provar que é uma doença real. Para se livrar dessa "lenda urbana" de que todas essas pessoas tem "uma loucura".
Você sabe que pacientes com fibromialgia parecem perfeitamente saudáveis ​​e as pessoas dizem: "Como você pode estar doente?" É muito fácil ficar doente assim. É uma anomalia do sistema imunológico.
É por isso que nós aprendemos que pacientes com fibromialgia têm uma maior taxa de divórcio, porque os cônjuges não acreditam neles. Eles têm grandes dificuldades de receber de familiares e amigos apoio por acreditarem neles.
Eu estava em Chicago cerca de um mês atrás, e uma senhora veio me ver para ter seu sangue coletado. Ela sabia que tinha fibromialgia. Eu disse, "Você está recebendo o teste porque você não pode trabalhar? Você precisa da declaração de deficiência?" Ela disse: "Oh, não! Estou pagando para o teste porque meus pais que estão nos 80% que não acreditam que eu sou doente. Eu estou apenas começando o teste para provar a eles que eu estou realmente doente!"
Isso é exatamente o que você está vendo. Essas pessoas querem justificação e defesa para provar que eles estão doentes, que há algo de errado aqui.
Nós estamos esperando mudar esse conceito terrível e errado nas mentes dos praticantes que não há nada de errado com essas pessoas.
Essa é a nossa maior esperança, que vai se livrar dessa terrível ideia de que é uma "doença falsa."
FM4 RS

Como você acha que o futuro do diagnóstico FM vai desenvolver?

Estamos esperançosos de que em primeiro lugar os médicos, incluindo os profissionais de enfermagem e médicos assistentes vão dizer a um paciente: "Antes de colocá-lo através dos gastos de milhares de dólares em testes desnecessários,  e que passam anos buscando determinar se seus sintomas são devido a fibromialgia; vamos direto ao assunto e ir direto para o teste. Se fizermos e este teste for positivo, já respondeu a pergunta e vamos levá-lo seus resultados em 5 -7 dias". Isso é tudo que é preciso para obter os seus resultados.
Nós também estamos esperançosos de que podemos obter algumas empresas farmacêuticas junto conosco que vão dizer: "é um teste imunológico, precisamos desenvolver tratamento para este problema do sistema imunológico."
Até agora não vimos isso acontecer. Eu não sei o porquê. Com tantas pessoas com fibromialgia baseado no estudo da Clínica Mayo, que diz que afeta 1 em cada 12 mulheres e um em cada 20 homens. Isso é uma enorme quantidade de pessoas. Isso é mais de 20 milhões de pessoas apenas nos EUA. Isso é quase tantas pessoas como quem tem diabetes .

Quais são EpicGenetics planos para o futuro?

EpicGenetics continua a fazer a pesquisa. Estamos prestes a embarcar em fazer estudos genômicos em pacientes com fibromialgia.
Todo mundo que começa o teste fibromialgia é convidado a assinar o que é chamado de consentimento informado, para que possamos obter os RNA fora de suas celas e procurar genes marcadores.
Se esta é uma doença tão prevalente, talvez haja marcadores genéticos para ele. Tal descoberta poderia potencialmente levar a uma cura.
Temos também um programa de pesquisa da Escola de Saúde Pública de Harvard. Estamos prestes a desenvolver o exame de sangue pela primeira vez que pode diagnosticar asma .
Também estamos negociando com a Faculdade de Medicina de Cornell em Nova York para estudar fibromialgia em crianças para determinar a prevalência da fibromialgia em crianças e se algumas crianças podem ter Fibromialgia e são, infelizmente, sendo diagnosticada como TDAH vez.

Onde podem os leitores encontrar mais informação?

www.thefmtest.com

Sobre o Dr. Bruce Gillis

Bruce Gillis imagem grandeBruce S. Gillis, MD, MPH, é o fundador do EpicGenetics, empresa biomédica dedicada ao desenvolvimento de testes diagnósticos conclusivos para condições médicas complexas. Sob a liderança do Dr. Gillis ", EpicGenetics desenvolveu o primeiro teste de diagnóstico para a fibromialgia - A FM / um teste ®.
Reconhecida por suas pesquisas excepcional em vários manuscritos peer-reviewed, Dr. Gillis estabeleceu-se como um médico, um empresário e como um pesquisador da área médica.
Dr. Gillis para os últimos anos tem mantido programas de pesquisa ativos, tanto a Universidade de Illinois College of Medicine, em Chicago e da Escola de Saúde Pública de Harvard.
Dr. Gillis recebeu o ensino de graduação e de medicina na Universidade de Illinois em Chicago e ao mesmo tempo também frequentou a Escola de Saúde Pública, onde recebeu um diploma de mestrado em Saúde Pública de Harvard. No período de sete anos, Dr. Gillis concluído a faculdade de medicina, o seu programa de mestrado de Harvard, duas residências médicas e duas bolsas de médicos.
Ele teve cargos de docente tanto na Universidade da Califórnia, em Los Angeles e na Universidade de Illinois College of Medicine, em Chicago.

SEXO E DORES CRÔNICAS

Maryann Lowry tinha 42 anos em 1995, quando ela acordou uma manhã com dor pélvica severa. Ela foi diagnosticada com vulvodynia - que literalmente significa apenas dor na região vulvar. Hoje, 14 anos depois, ela diz que é "95% recuperado" -, mas os muitos anos de lidar com a dor crônica teve seus efeitos sobre seus relacionamentos, sua vida pessoal e, claro, sua vida sexual.
"Eu pensei, como é que eu vou manter o meu casamento juntos, se eu não posso ter relações sexuais? Foi mais um presente que eu tentei dar o meu marido até que eu pudesse sentir melhor ", lembra ela.
Lowry está longe de ser por si só. De acordo com a American Pain Foundation, cerca de 50 milhões de americanos têm dor crônica, decorrente de causas que vão desde o tratamento do câncer de lesões nas costas para a fibromialgia, e muitos mais.e quase 80% das pessoas que vivem com dor crônica e / ou deficiência e seus parceiros relatam uma redução significativa ou perda de seu funcionamento sexual.
A dor crônica pode levar à fadiga, insônia e sintomas de depressão. Medicamentos para a dor pode reduzir a libido. E para algumas pessoas, a própria relação sexual pode causar dor, diz Meeru Sathi-Welsch, MD, um médico anestesiologista e especialista em dor de Long Island Neurociência especialistas.
"A dor crônica permeia todos os aspectos da vida de uma pessoa", concorda Daniel Kantor, MD, presidente eleito da Flórida Society of Neurology (FSN) e Diretor Médico da Neurologia, uma organização dedicada a assistência ao paciente, pesquisa e educação."Você não vê a si mesmo como um ser sexualmente romântico, porque você está tão definido pela dor."

 Como obter sua libido de volta
O que você pode fazer para acender o fogo de novo? "É preciso muita criatividade e paciência!", Diz Sherrie Sisk, 43, uma mãe solteira que narra sua luta de 10 anos com dor da fibromialgia em um blog chamado "The Tramadol Diaries".
Em primeiro lugar, fale com o seu médico sobre quais os aspectos do seu tratamento pode ser alterado para ajudar a melhorar as coisas sexualmente. David Rosenfeld, MD, um especialista em dor com o Centro de Dor Atlanta, diz que o seu médico pode ajudar de várias maneiras:
  • Alterar medicamentos. "Nós podemos diminuir os opiáceos e usar mais outros medicamentos que sabemos que são eficazes para o tratamento da dor crônica com menor efeito sobre a sexualidade, como Lyrica e Cymbalta", diz Rosenfeld.
  • Adicionar novos medicamentos. Para os homens com baixos níveis de testosterona, uma receita para a testosterona pode ajudar com o desejo sexual. Os tratamentos medicamentosos, como Cialis, Levitra e Viagra também pode ser usado para homens com disfunção erétil.(*Nos Estados Unidos)
  • Encaminhá-lo para os tratamentos de biofeedback.* "Descobrimos que biofeedback pode ser muito útil para as mulheres, em particular, que se queixam de dor pélvica e dispareunia* significativa", diz Rosenfeld. A dispareunia é a dor durante a relação sexual.
  • * Biofeedback: é a ferramenta terapêutica que fornece informações, com a finalidade de permitir aos indivíduos desenvolver a capacidade de auto regulação.
  • Juntar-se a um grupo de apoio. Ele pode te ajudar descobrir que você não está sozinho - há outras pessoas no mesmo barco, que podem ter novas idéias que você ainda não experimentou.

Como você pode reduzir a ansiedade e aumentar o prazer?


Seja criativo Sobre Sexo

Não pense em sexo, da mesma forma que você sempre fez. As posições que trabalharam para você antes de você começar a sua luta com a dor crônica pode não funcionar para você agora. Pode ser necessário pensar em novas maneiras de iniciar intimidade e diferentes maneiras de ser íntimo.
  • Mudar de posição. Especialmente se você tem dor nas costas ou dor de garganta, sendo na parte inferior - ou a parte superior - pode ser doloroso. Tente uma posição de um lado para outro para aliviar a pressão nas costas ou pescoço, travesseiros para apoio. podem ser usados.
  • Tudo no seu tempo. Ao invés de apenas iniciar o sexo, sente-se calmamente ao lado da lareira com o seu parceiro e leia um livro romântico ou sexy para o outro. "Este é o momento para você como um casal, não focar na dor", disse Kantor. "Mantenha os pés uns dos outros e dar o seu parceiro uma massagem nos pés. Não tenha pressa. Depois de algum tempo, não pense sobre a dor e não se forçe.
  • Tente alternativas para a relação sexual. "As pessoas podem tentar usar vibradores, estimulação manual e outros atos íntimos, além de apenas a relação sexual em si", diz Sisk. "Ir além" Você me faz e eu faço você. "
Quando você está lidando com a dor crônica pode ser tentador apenas parar a parte sexual de sua vida. Mas isso coloca seu relacionamento em risco. "Se você não é, pelo menos, dispostos a explorar a intimidade com seu parceiro, você vai estar em apuros", diz Sisk. "O seu parceiro tem que aprender o que a sua doença significa para você, como isso afeta sua sexualidade, e tentar coisas novas para torná-la melhor. E você tem que entender que o sexo é importante para o seu parceiro e para você também. Você não pode dizer: 'Essa parte da nossa vida já acabou. "

sábado, 17 de agosto de 2013

CNJ recomenda ao Judiciário a criação de varas especializadas em direito à saúde :: Direito à Saúde

13/08/2013 11:59
 
Brasília - O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou, hoje (6), por unanimidade, recomendação aos tribunais de todo o país para que criem varas especializadas no julgamento de processos relacionados ao acesso à saúde. “A especialização pode propiciar decisões mais adequadas e precisas”, disse a conselheira Maria Cristina Peduzzi, ministra do Tribunal Superior do Trabalho, acompanhando o conselheiro Ney Freitas, relator do processo. Na mesma decisão, o conselho recomendou ao Judiciário prioridade no julgamento de ações que envolvem planos e seguros de saúde.
 
A recomendação decorre de um pedido de providência encaminhado ao CNJ pelo ex-deputado e atual presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Flávio Dino, cujo filho morreu em um hospital de Brasília (DF) após sofrer uma crise de asma na escola. Para Dino, houve erro médico no socorro ao filho.
 
Na petição, Dino pediu ao conselho a edição de uma resolução determinando aos tribunais a especialização de Varas para processar e julgar ações que tenham por objeto o direito à saúde. O argumento principal utilizado no requerimento de Flávio Dino é que o Judiciário tem órgãos especializados em muitos assuntos, como questões trabalhistas, de consumidores, ambientais, violência contra mulher, entre outras, logo deve dedicar a mesma atenção ao maior problema nacional apontado em pesquisas: o mau atendimento, ou negação de atendimento, nas redes pública e privada de saúde.
 
"É um avanço, apesar de não ser uma resolução, ela aponta para a necessidade de organização do Judiciário para garantir o direito à saúde, que é um direito fundamental”, disse Dino à Agência Brasil. Dino avalia que diante das reclamações e processos cada vez mais frequentes relativas à questão da saúde, é necessária uma maior coerência da organização do Judiciário. "Se é um direito fundamental é preciso que haja um aprimoramento do sistema judicial para atender às demandas da população, com mais rapidez e precisão, pois estamos falando de algo que pode não pode ser perdido", argumentou referindo-se à perda da vida de seu filho.
 
De acordo com a recomendação, as novas varas para julgar processos envolvendo questões de saúde deverão ser criadas nas varas de Fazenda Pública que agregariam uma nova competência. Outra recomendação aprovada diz que o conhecimento sobre o direito à saúde será cobrado nos concursos públicos para ocupar cargos no Poder Judiciário e também nos cursos de formação dos juízes.
 
“O cenário normativo envolvido na questão é vasto e exige do magistrado e servidores envolvidos na decisão desse tipo de demanda certa especialização na matéria”, diz parecer do CNJ, anexado à decisão. “A especialização de varas de saúde pública pode garantir maior conhecimento dos magistrados e servidores, decisões mais adequadas e tecnicamente precisas”. 
 
Segundo relatório do CNJ, há 240 mil ações na Justiça relacionadas ao direito à saúde. A maior parte dos processos são referentes a reclamações de pessoas que reivindicam na Justiça acesso a medicamentos e também a procedimentos médicos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), bem como vagas em hospitais públicos e ações diversas movidas por usuários de seguros e planos privados.
 
Edição: Fábio Massalli
Fonte: Portal EBC


Leia mais: http://www.direitoasaudecm.com/news/cnj-recomenda-ao-judiciario-a-cria%c3%a7%c3%a3o-de-varas-especializadas-em-direito-%c3%a0-saude/

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Um Guia Visual para Acupuntura

O que é Acupuntura?

A acupuntura é uma prática da medicina tradicional chinesa na qual finas agulhas são colocadas em pontos específicos no corpo de cura milenar. É utilizado principalmente para o alívio da dor, mas também tem sido utilizada para tratar outras condições. Mais de 3 milhões de americanos usam a acupuntura, mas é ainda mais popular em outros países. Na França, por exemplo, uma em cada cinco pessoas tem tentado acupuntura.

Como funciona a acupuntura

A acupuntura busca liberar o fluxo de energia vital do corpo ou "chi", estimulando pontos ao longo de 14 vias de energia. Os cientistas dizem que as agulhas causam no corpo a liberação de endorfinas - analgésicos naturais - e podem aumentar o fluxo sanguíneo e mudança da atividade cerebral. Os céticos dizem que a acupuntura funciona somente porque as pessoas acreditam nisso, um efeito chamado "efeito placebo".

A Acupuntura dói?

Agulhas de acupuntura são muito finas, e a maioria das pessoas não sente dor ou um pouco de dor quando elas são inseridas. Eles costumam dizer que se sentem energizados ou relaxado após o tratamento. No entanto, as agulhas podem causar dor temporária.

Acupuntura: dor lombar

Se os tratamentos normais não aliviam a dor lombar crônica, a acupuntura pode fazer o trabalho, e dois grupos de médicos respeitados sugerem que as pessoas nesta situação experimentem-na. Um grande estudo descobriu que tanto real e "dor fantasma" acupuntura funcionou melhor do que os tratamentos convencionais para dor nas costas que durou mais de três meses. O consenso ainda é de tratamento fora da  acupuntura para dor de curta duração (aguda) na região lombar.

Acupuntura: Dores de cabeça

A acupuntura pode ajudar a aliviar as enxaquecas ou dores de cabeça tensionais. Dois grandes estudos descobriram que as pessoas que receberam a acupuntura teve menos dias com dores de cabeça tensionais do que aqueles que receberam o tratamento convencional.
acupuntura na testa

Acupuntura: fibromialgia

Estudos que testam quão bem funciona a acupuntura contra a dor da fibromialgia tiveram resultados mistos. Alguns mostraram que proporcionou alívio temporário da dor, mas outros não. Um pequeno estudo realizado pela Clínica Mayo (Portugal) sugere que a acupuntura pode reduzir a dois outros problemas da fibromialgia: fadiga e ansiedade. Mas no geral, ainda não é evidência suficiente para provar que a acupuntura funciona para a fibromialgia.
acupuntura pescoço

Acupuntura: a dor da artrite

A acupuntura pode ser uma adição útil para o tratamento convencional para a osteoartrite, diz o Instituto Nacional de Artrite e Doenças Osteomusculares e de Pele. E alguns dos mais promissores, as primeiras pesquisas tem mostrado acupuntura aliviou a dor da artrite no joelho. No entanto, mais pesquisas são necessárias para provar, sem sombra de dúvida que é eficaz para a osteoartrose.
acupuntura no joelho

Acupuntura: Síndrome do Túnel do Carpo

A acupuntura foi testada e comparada com os comprimidos de esteroides para a mão e dor no braço da síndrome do túnel do carpo. Pesquisadores de Taiwan deram um grupo de oito tratamentos de acupuntura, ao longo de cerca de um mês, e os pacientes relataram mais alívio, por um longo tempo, que o grupo que tomava remédios. Embora estudos como este têm sido promissores, mais provas ainda são necessárias para confirmar que a acupuntura é eficaz para a síndrome do túnel do carpo
acupuntura braço

Acupuntura: Dor Dental

Acupuntura proporciona alívio da dor da extração dentária ou cirurgia dental, mas o mesmo acontece com a acupuntura na dor fantasma, alguns estudos mostram. Ainda assim, a dor de dente é considerada por muitos como uma das condições que responde à acupuntura.
agulha no ponto de pressão de mão

Acupuntura: Outras Dores

As pessoas têm tentado acupuntura para dor de garganta, dor muscular, cotovelo de tenista e cólicas menstruais, na esperança de evitar medicamentos e seus efeitos colaterais. A Organização Mundial da Saúde lista 28 condições diferentes, que às vezes são tratadas com acupuntura. Nos EUA, a revisão pelos Institutos Nacionais de Saúde pediu investigação robusta para verificar a promessa de que a acupuntura é válida para diversas condições.
acupuntura na ponta dos pés

Um avanço para a Medicina da Dor

A acupuntura pode proporcionar alívio adicional da dor quando ela é usada junto com remédios contra a dor ou outra terapia, como a massagem. Acupuntura pode reduzir a necessidade de medicamentos e pode melhorar a qualidade de vida das pessoas com dor crônica.
homem recebendo massagem na cabeça

Acucuntura: Náusea

Acupuntura no pericárdio (P6) ponto de acupuntura no pulso pode reduzir os sintomas de náuseas e vômitos, mesmo depois de tratamentos com medicamentos ou cirurgia de câncer. Estudos compararam 10 métodos diferentes - incluindo agulhas de acupuntura, estimulação elétrica - os medicamentos que bloqueiam as náuseas ou vômitos encontrados os tratamentos de acupuntura funcionou.
mão modelo que mostra os pontos de pressão

Acupuntura e Cuidados no Cancer 

Porque a acupuntura pode diminuir a dor, náuseas e vômitos, às vezes é usado para ajudar as pessoas a lidar com os sintomas de câncer ou quimioterapia. Ele também pode ajudar a controlar os afrontamentos associados ao câncer de mama. Certifique-se de conversar com seu médico antes de procurar um médico que tenha experiência em trabalhar com pacientes com câncer.
mão acupuntura

Acupuntura e fertilidade

Celebridades como cantores Celine Dion e Mariah Carey acreditam  na acupuntura - que usada junto com tratamentos de infertilidade - como a ajuda delas para engravidar. Uma revisão de estudos médicos apóia este ponto de vista, o que sugere que a acupuntura pode aumentar a eficácia de tratamentos de fertilidade. Uma teoria afirma que a acupuntura ajuda a reduzir o estresse e aumentar o fluxo de sangue para os ovários.
estômago acupuntura

Acupuntura para parar de fumar?

Acupuntura tem sido usada para uma variedade de outras condições, incluindo a cessação de fumar, insonia, fadiga, depressão e de alergias. A evidência é misturada na melhor das hipóteses, para alguns o uso da acupuntura. Por exemplo, as agulhas de acupuntura colocados na orelha externa para ajudar as pessoas a parar de fumar não funcionam, estudos descobriram.
acupuntura auricular

Acupuntura e Crianças

A acupuntura é geralmente considerada segura para as crianças, desde que você esteja sendo assistida por um médico licenciado, que segue padrões recomendados da prática. É usado principalmente para controlar a dor ou náuseas e vômitos após a cirurgia ou tratamento medicamentoso do câncer. A evidência científica não suporta o uso da acupuntura para tratar déficit de atenção e hiperatividade.
rapaz recebe a acupunctura

Quando a considerar Acupuntura

Porque a acupuntura raramente provoca  efeitos colaterais leves, é uma alternativa potencial para analgésicos ou tratamentos esteroides. Também é considerado um tratamento "complementar", que pode ser usado juntamente com outros tratamentos. O melhor é discutir o uso da acupuntura com o seu médico.
mulher falando para o médico

Riscos de acupuntura

Embora a acupuntura ser, geralmente, ter problemas de segurança e graves são raros, existem alguns riscos. As agulhas que não são estéril pode causar a infecção. Em alguns pontos de acupuntura, agulhas inseridas profundamente pode perfurar os pulmões ou da vesícula biliar ou causar problemas com os vasos sanguíneos. É por isso que é importante usar um médico que é bem treinado em acupuntura.
perto da ponta da agulha

Quem não deve usar Acupuntura

Pessoas com distúrbios hemorrágicos ou que tomam anticoagulantes podem ter um risco aumentado de hemorragia. A estimulação elétrica das agulhas pode causar problemas para pessoas com marca-passos ou outros dispositivos elétricos.As mulheres grávidas devem conversar com seu médico antes dese tratar com a acupuntura. É importante não descartar cuidados médicos convencionais ou contar com a acupuntura só para tratar doenças ou dor severa.
As células vermelhas do sangue

Escolhendo um Profissional Acupunturista

É importante receber o tratamento de alguém que tenha cumprido as normas de educação e formação em acupuntura. Membros variam em seus requisitos de licenciamento. Há organizações nacionais que mantêm padrões, como a American Academy of Medical Acupuncture (um grupo médico) ou da Associação Americana de Acupuntura e Medicina Oriental. Certifique-se de que seu médico usa agulhas estéreis que são jogadas fora logo após o uso.
sinal de néon acupuntura

Variações de Acupuntura 

Várias outras terapias usam uma forma diferente de estimular os pontos de acupuntura. Moxabustão envolve a queima de moxa, um feixe de artemísia folhas secas e absinto, a qual pode então ser usado para aquecer as agulhas de acupunctura ou aquecer a pele. Eletroacupuntura aumenta a estimulação elétrica para as agulhas. Outra variação recente utiliza agulhas de laser que são colocados na (mas não em) pele.
moxabustão acupuntura

Acupressão vs Acupuntura

Se você tem medo de agulhas, você pode obter grande parte o mesmo efeito da acupuntura. Acupressão envolve pressionar ou massagear os pontos de acupuntura para estimular as vias de energia. Comparações científicas de acupressão e acupuntura são limitados, mas acupuntura tem se mostrado eficaz na redução de náuseas e diminuir a dor do parto.
massagem de acupressão

Tradução livre do Google.

Evidência de dano do nervo em cerca de metade dos pacientes com fibromialgia

30 de julho de 2013 - Cerca de metade de um pequeno grupo de pacientes com fibromialgia - uma síndrome comum que causa dor crônica e outros sintomas - foi encontrado por ter danos nas fibras nervosas em sua pele e, outras evidências de uma doença chamada de Polineuropatia das Pequenas Fibras (PNPF). Ao contrário de fibromialgia, que não tem nenhuma causa conhecida e poucos tratamentos eficazes, ter uma patologia PNPF que é clara e é conhecida por ser causada por condições médicas específicas, algumas das quais podem, por vezes, ser tratada e curada. O estudo do Massachusetts General Hospital (MGH), os pesquisadores irão aparecer na "Jornal Dor" e será lançada online.

"Isto fornece algumas das primeiras evidências objetivas de um mecanismo por trás de alguns casos de fibromialgia, e identificar uma causa subjacente é o primeiro passo no sentido de encontrar melhores tratamentos", diz Anne Louise Oaklander, MD, PhD, diretor da Unidade de Lesão do Nervo no MGH Departamento de Neurologia e autor correspondente do "Jornal Dor".
O termo fibromialgia descreve um conjunto de sintomas - incluindo a dor crônica generalizada, aumento da sensibilidade à pressão, e fadiga - de que se acredita afetar 1 a 5 por cento dos indivíduos nos países ocidentais, mais frequentes em mulheres.Embora um diagnóstico de fibromialgia foi reconhecida pelo National Institutes of Health e do Colégio Americano de Reumatologia, a sua base biológica permaneceu desconhecido. Ações da fibromialgia e muitos sintomas com PNPF, uma causa reconhecida de dor generalizada crônica para a qual existem testes aceitos e objetivos.
Projetado para investigar as possíveis relações entre as duas condições, o presente estudo teve matriculados 27 pacientes adultos com diagnóstico de fibromialgia e 30 voluntários saudáveis. Os participantes passaram por uma bateria de testes utilizados para diagnosticar PNPF, incluindo avaliações de neuropatia com base em um exame físico e as respostas a um questionário, biópsias de pele para avaliar o número de fibras nervosas em suas pernas, e os testes de funções autônomas, como a freqüência cardíaca , pressão arterial e transpiração.
Os questionários, avaliações, exames e biópsias de pele todos encontraram níveis significativos de neuropatia nos pacientes com fibromialgia, mas não no grupo controle. Dos 27 pacientes com fibromialgia, 13 tiveram uma redução marcada na densidade de fibras do nervo, testes de funções autonômicas anormais ou ambos, indicando a presença de PNPF. Os participantes que preencheram os critérios para PNPF também foram submetidos a testes de sangue para causas conhecidas da doença, e enquanto nenhum deles tiveram resultados sugestivos de diabetes, uma causa comum de PNPF, dois foram encontrados para ter a infecção pelo vírus da hepatite C, que pode ser tratada com sucesso, e mais de metade tinha evidência de algum tipo de disfunção do sistema imunitário.

"Até agora, não houve nenhuma boa ideia sobre o que causa a fibromialgia, mas agora temos provas para alguns, mas não todos os pacientes. Fibromialgia é complexa demais para uma "causa única como explicação", diz Oaklander, professor associado de Neurologia na Harvard Medical School. "O próximo passo da confirmação independente dos nossos resultados de outros laboratórios já está acontecendo, e nós também precisamos seguir esses pacientes que não satisfazem os critérios PNPF, para ver se podemos encontrar outras causas. Ajudar nenhuma dessas pessoas recebem diagnóstico definitivo e melhor tratamento seria uma grande realização. "

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Evidência de dano nervoso em cerca de metade dos pacientes com fibromialgia| Medcenter

Evidência de dano nervoso em cerca de metade dos pacientes com fibromialgia| Medcenter (click no link para ler em inglês)

Evidência de dano nervoso em cerca de metade dos pacientes com fibromialgia

Fonte: Science Daily
Aproximadamente metade de um pequeno grupo de pacientes com fibromialgia, uma síndrome comum que causa dor crônica entre outros sintomas, parece apresentar danos às fibras nervosas da pele e outras evidências de uma doença chamada polineuropatia de fibras-finas (SPNPF). Ao contrário da fibromialgia, que não tem nenhuma causa conhecida e poucos tratamentos eficazes, a SPNPF tem uma patologia clara e é conhecida por serem causadas por condições médicas específicas, algumas das quais podem, por vezes, serem tratadas e curadas. As pesquisas de um estudo do Massachusetts General Hospital (MGH) serão publicadas na "Jornal Dor" e foi lançada online.
"Isto fornece algumas das primeiras evidências objetivas de um mecanismo por trás de alguns casos de fibromialgia e identificar uma causa subjacente é o primeiro passo para encontrar melhores tratamentos", diz Anne Louise Oaklander, MD, PhD, diretora da Nerve Injury Unit no MGH Department of Neurology e autora correspondente da "Jornal da Dor".
O termo fibromialgia descreve um conjunto de sintomas que inclui a dor crônica generalizada, um aumento da sensibilidade à pressão e fadiga; acredita-se que esta condição possa afetar entre 1 a 5 por cento dos indivíduos nos países ocidentais, sendo mais frequente nas mulheres. Embora um diagnóstico de fibromialgia tenha sido reconhecido pelo National Institutes of Health e do American College of Rheumatology, a sua base biológica permanece desconhecida. A fibromialgia divide muitos sintomas com a SFPN, uma causa reconhecida de dor generalizada crônica para a qual existem testes aceitos e objetivos.
Projetado para investigar as possíveis relações entre estas duas condições, o presente estudo incluiu 27 pacientes adultos com diagnóstico de fibromialgia e 30 voluntários saudáveis. Os participantes passaram por uma bateria de testes, utilizados para diagnosticar a SFPN, incluindo avaliações de neuropatia, com base em um exame físico e respostas a um questionário, biópsias de pele para avaliar o número de fibras nervosas em suas pernas e testes de funções autônomas, como a frequência cardíaca , pressão arterial e transpiração.
Todos os questionários, avaliações, exames e biópsias de pele encontraram níveis significativos de neuropatia nos pacientes com fibromialgia, mas não no grupo controle. Dentre os 27 pacientes com fibromialgia, 13 apresentaram uma redução marcada na densidade de fibras nervosas, testes de funções autonômicas anormais, ou ambos, indicando a presença de SFPN. Os participantes que preencheram os critérios para SFPN também foram submetidos a testes de sangue para as causas conhecidas da doença e, embora nenhum deles tenha apresentado resultados sugestivos de diabetes, uma causa comum para a SFPN, em dois deles foi encontrada uma infecção pelo vírus da hepatite C, a qual pode ser tratada com sucesso, e mais da metade apresentavam evidências de algum tipo de disfunção do sistema imunitário.
"Até agora, não houve nenhuma boa ideia sobre a causa da fibromialgia, mas agora temos provas para alguns, mas não todos, os pacientes. A fibromialgia é complexa demais para uma explicação de que uma ‘abordagem única serve para todos’", disse Oaklander, professor associado de Neurologia na Harvard Medical School. "O próximo passo para uma confirmação independente dos nossos resultados, proveniente de outros laboratórios, já está acontecendo e nós também precisamos acompanhar esses pacientes que não satisfazem os critérios para SFPN e verificar se podemos encontrar outras causas. Ajudar qualquer uma dessas pessoas a receber um diagnóstico definitivo e um melhor tratamento seria uma grande realização."